ARTIGOS

Felicidade: A Revelação da Essência

Você anda em busca da felicidade e se pergunta muitas vezes por que ela ainda não aconteceu, já que você procura ser a pessoa mais honesta do mundo, dedicada à sua família, ao seu trabalho e à sua fé em Deus?

Quantos sacrifícios você já fez em sua vida vislumbrando a felicidade ao final, mas sem nunca encontrá-la de fato? Não há felicidade se não houver paz interior, e que tipo de paz interna pode sentir quem está em guerra com o mundo, “lutando por um lugar ao Sol”, como se diz? Nenhuma! A grande ilusão que as pessoas vivem é achar que quanto mais se deseja algo e mais se sacrifica por isso, maior a recompensa da vida, quando na verdade quem vive por recompensas até pode consegui-las, mas por um preço muito elevado, sacrificando seu tempo, sua saúde, sua alegria de viver e, portanto, mal percebe que esta busca pela felicidade, na prática, está trazendo a infelicidade! A felicidade não é um prêmio aos bons! Ser correto em suas atitudes, ético, solidário e esforçado faz bem à sua consciência, mas não te faz mais merecedor da felicidade.

A felicidade não é um troféu ofertado por Deus àqueles de moral impecável ou que tenham se sacrificado muito em suas vidas. A religião mostrou por muito tempo a felicidade como um objetivo futuro, até mesmo pós-morte, e criou doutrinas, regras morais para que você cumprisse e que, segundo um suposto julgamento divino, lhe compensaria ou não com a felicidade. Mesmo que você não siga uma religião especificamente, você absorve estes padrões de pensamento, pois eles fazem parte do inconsciente coletivo da nossa sociedade e estão diluídos na educação que recebemos, no comportamento dos nossos pais e avós, e de um modo geral crescemos com estes modelos comportamentais sem questionamento.

Estas crenças é que fazem com que as pessoas acreditem que precisam pagar caro pela sua felicidade, idéia que se originou no conceito católico de que seríamos pecadores natos, devedores a Deus, e teríamos que passar nossas vidas trabalhando para purificarmos nossa alma, ou seja, executando o trabalho sagrado, o sacro-ofício, ou simplesmente o sacrifício! Portanto, não se sacrifique para ser feliz um dia, pois estará se iludindo. A felicidade está no aqui e agora, dentro de você, apenas liberte-se dos condicionamentos limitantes, da auto sabotagem e da autopunição, enfim, supere o seu passado! Na ausência das ilusões, tanto do passado traumático quanto do futuro incerto, a felicidade surge do íntimo, nasce em cada um de nós como percepção ampliada do valor da vida! A FELICIDADE É DE GRAÇA! Não pague pelo que já é seu por direito divino, apenas saiba receber esta herança com todo o mérito que lhe é dado pela criação! A felicidade é um estado de graça que aflora de sua alma quando você está em conexão com a fonte da vida.

Estar em estado de graça significa compreender que Deus, através da natureza, pela Lei da Atração, te provém de absolutamente tudo o que você necessita sem esforços, de forma gratuita, visto que você também é Deus em sua essência, basta assumir o seu valor divino, a sua liberdade plena, pois, sendo Deus, você é um ser ilimitado em suas possibilidades e feliz por natureza! Confie mais, entregue-se à oportunidade diária de se fazer feliz! E como nos disse Jesus Cristo: “Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.” Ou seja, a cada dia se faça feliz superando o seu próprio desafio, se ocupando criativamente do momento presente da vida, sem se angustiar com o futuro numa tentativa inútil de controlá-lo, esgotando suas forças, para se sentir, um dia, merecedor da felicidade! Deixe esta felicidade se revelar em você! Revelar significa retirar o véu! Retire, então, o véu da ilusão que separa sua consciência humana de sua consciência divina e, então, seja UM SÓ, sem divisões internas, sem conflitos. Portanto, não corra atrás da felicidade, como muitos dizem que se deve fazer, pois ela não está no externo e nem no futuro, não é um objetivo a ser alcançado. A FELICIDADE NÃO SE BUSCA, ELA SE REVELA!

MAIS ARTIGOS